Notícias

Tamanho da FonteDiminuir FonteAumentar Fonte
Sexta-feira, 25 de Outubro de 2013 - 16:23
Imprimir

“Ainda não entendi o motivo de minha saída da Secretaria de Desenvolvimento”

Em entrevista a Revista Viu!, vice-prefeito Miguel Arcanjo, fala sobre sua saída da pasta.
Foto: Paulo Henrique Baldini
Vice-prefeito acumulava a função da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável desde o início de 2013
Vice-prefeito acumulava a função da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável desde o início de 2013
Ampliar
Vice-prefeito acumulava a função da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável desde o início de 2013
Vice-prefeito acumulava a função da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável desde o início de 2013

   Nesta sexta-feira, 25, o vice-prefeito Miguel Arcanjo de Almeida (PV), em entrevista a Revista Viu! falou sobre os motivos de sua saída da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável, que aconteceu na última segunda-feira, 21.

   Como secretário, Almeida tinha o papel de promover o desenvolvimento econômico sustentável no município, articulando e facilitando o investimento de empreendedores no município através de políticas de fortalecimento de indústrias, comércio e agricultura.

Qual foi o motivo da sua saída da Secretaria de Desenvolvimento Social e Sustentável?

   Pra ser sincero foi uma surpresa pra mim, porque o prefeito Levi me chamou e disse que precisava do cargo por questões políticas, como se eu não tivesse nenhuma ação política no grupo.Ele (Levi) disse que tinha me colocado temporariamente no cargo, pode ser ou não, porque ele como prefeito tem que analisar da forma que acha melhor. Aceitei por questão de hierarquia.

   Eu disse que tudo bem, ele é o prefeito, é ele quem manda mas isso me chateou por tudo que eu estou tentando fazer. Agora se houve pressões de alguns, o que eu acredito que existiu, ou se foi da cabeça dele, eu não sei. Ou pode ser que ele falou que é questões políticas mas na verdade não estava gostando do meu trabalho. Só que o último grande evento que realizamos que foi a 58ª Semana das Monções, ele viu e gostou. O meu trabalho eu sempre cumpri direito e ai pergunto, qual o motivo? A resposta é o Levi que tem que dar. O Levi pediu pra eu falar que pedi exoneração, só que na verdade eu não pedi. Foi como, por exemplo, tirar um doce de uma criança, aquele doce é a vida dela no momento.

   Agora quero deixar bem claro, que eu nunca deixei de ser vice, porque as pessoas estão falando que agora eu vou assumir o papel de vice e não é isso.Eu sempre atuei na função e darei continuidade agora.

   Quem assume no meu lugar é o Michel Zangerônimo, que era diretor de urbanismo, na verdade eu não entendi também o porquê. Ele (Michel) é uma pessoa competente, só que não entendo o motivo de ser ele.


Foi uma conversa tensa?

   Um pouco. Falei o que tinha falar, talvez até demais ,mas não deixei de falar nada que pensava.


Tinha mais alguém nessa reunião?

   Sim, o Arnaldo Franco (chefe de Gabinete) e o Erval Steiner, que também não entendi o porquê dele estar lá.


O ex-prefeito Erval Steiner pode ter pressionado o Levi? Ele não tem um papel oficial no governo mas então porque a presença dele na reunião?

   Olha, eu não consigo responder essa pergunta pra você, sinceramente.Porque eu também não entendi a posição do Erval ali naquele momento. Ele é uma figura pública na cidade, só que não sei quando ele ajuda ou não.

Está mal explicado ainda o motivo da sua saída?
   Está bem mal explicado. Talvez o prefeito tenha na cabeça dele de que era temporário, mas temporário envolvendo com um monte de projetos e inclusive projetos grandes e tudo eu envolvido e passando para ele. Porque ser gestor é você enxergar o potencial das pessoas e incentivar, dizer para seguir em frente. Eu não digeri ainda a minha saída, pelo fato de não ter entendido. Não foi justificável. Eu não rompi com o governo, estou com o governo mas preocupado.Então, é um alerta pra mim, no entanto um alerta para eles também.


Você disse que está preocupado com o partido. É por essas atitudes que andam tomando?

   Sim, estou preocupado. Não estão tendo coerência nas atitudes.


Isso pode futuramente gerar um desconforto maior entre você e o prefeito?

   Vai depender muito da forma com que ele vai agir. Eu solicitei agora uma sala, uma pessoa pra me acompanhar nos trabalhos e para que os projetos que eu iniciei continuem.


O prefeito Levi disse que você estava no cargo como temporário, era essa a ideia que você tinha também?

   Quando o prefeito estava escolhendo a equipe, ele deu a entender que não iria colocar ninguém como secretário de Desenvolvimento, eu disse que era necessário colocar alguém devido a importância da pasta.Depois de algumas conversas, eu me ofereci para ajudar , ele me nomeou e não foi discutido se iria ser temporário ou não. Dei início no meu trabalho. E nunca a secretaria de Desenvolvimento levou problemas pra ele, eu levava soluções e tenho certeza que iria levar muito mais. 

E agora como está a situação entre vocês,voltaram a conversar após a sua dispensa?

   Eu tive apenas um contato com ele, rápido e eu diria até seco. Porque não tem como não falar que não fica um clima chato. E depois não falei mais com ele.


Como foram esses 10 meses de trabalho em frente a Secretaria?

   Foi um negócio alucinante, porém positivo. Foram 10 meses de trabalho intenso, sem horários, sem dias e apesar do cansaço, nem isso me abateu, porque eu estava muito motivado. Os números estão aqui para provar. Só de atendimentos para a Toyota, foram mais de 20. Estive sempre junto de todas as pastas, do desenvolvimento social, econômico e sustentável. Entre os projetos nossos ,acredito que um dos principais, é o GEM,Gincana Ecológica Municipal,que é o recolhimento de materiais recicláveis pelas escolas. Tudo o que estava a meu alcancei,eu fiz, acompanhando tudo bem de perto junto com os diretores.


Você é uma pessoa que procura nunca ser polêmico, fazendo um papel de conciliador.Você pretende continuar dessa forma ou se precisar esse Miguel que todos estão acostumados pode mudar?

   Eu sempre vou continuar na linha conciliador mas isso não quer dizer que eu tenha que concordar com tudo,se precisar chicotear eu vou chicotear. Conciliar é uma coisa, agora ser submisso não é o meu papel. Eu procuro mil situações para não ter confusão ,porque não é o melhor caminho.Só que eu estou ancorado em projetos e não vou abrir mão disso, isso é muito caro pra mim. Então, como vou conciliar essa situação do prefeito Levi ao pedir a minha saída, algo que achei que poderia ser diferente? Como que vou conciliar projetos em caminhamento, trabalhando bastante e de repente tudo acaba? Eu disse para o prefeito que líder que você é fazendo isso?  


Que avaliação você faz do governo, completando agora 11 meses?

   Tivemos bastante dificuldades, porque assumir com dívidas não é fácil. Teve grandes acertos e erros também, como colocar pessoas sem necessidade, interferências em secretários indesejadas. Estamos plantando e acredito que com um bom trabalho logo iremos colher os frutos. Não podemos crescer sem qualidade de vida, isso é fundamenta. Existe um movimento que se Porto Feliz souber aproveitar vai ser muito favorável.

Fotos: Paulo Henrique Baldini / Revista Viu!

Fonte:  Revista Viu!

Comentários

Voltar