Colunistas

Tamanho da FonteDiminuir FonteAumentar Fonte
Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2014
Imprimir

A MULHER DEUSA DO AMOR

A você, mulher consagrada à Deusa do Amor, pela sua forma de receber e dizer amor. Mulher que sorri sofrendo diante da dor. Carrega a vida em seu ventre. Mulher que se arruma todas as manhãs, para o início de uma nova jornada de trabalho. Sorri para a filha não se preocupar. Chora muitas vezes de alegria sem se poupar. É a pura emoção materna. Perdoa o imperdoável de forma terna. Perdoa infinitamente seus filhos. Brilha mais que o sol nascente. Carrega o mundo em sua placenta. Será que algo mais acrescenta, por tudo que a mulher representa?

Não sei se há palavras suficientes. Meu vocabulário é tão pobre. Curvo-me diante dos meus descendentes. Diante desta figura tão nobre. Ela não é só mãe, a mulher guerreira. Também domina seu homem de forma sorrateira. É namorada e amante carente. É gata que arranha sua presa indefesa. Fera ferida insaciável do amor presente. Suas formas sedutoras de estonteante beleza. A natureza é sábia. O que seria do planeta sem a mulher que o enfeita? 

O Sol de saudade morreria. A Lua triste haveria de se esconder. Nada, em lugar nenhum, sobreviveria. Mas por que pensar assim tão tristemente. Por você mulher, daria a minha vida. Lutaria até a morte bravamente. E diante dessa emoção incontida, quero dizer ao mundo solenemente que te entrego meu palpitante coração, minha alma e meu espírito contente. De uma singela e pura paixão, com lágrimas que deslizam em meu rosto, encho o peito, aos quatro cantos, clamando. Que ouça quem lhe aprouver. Obrigado, meu Deus, por existir a mulher. É através dela que chegamos ao mundo dos mortais.

Portanto, amo você mulher e mãe protetora! Amo você mulher e amiga abençoada! Amo você mulher, esposa, namorada e amante sedutora! Amo você mulher e filha amada! Em especial, amo você mulher!

Eduardo Morais
Eduardo Morais é filósofo – educador, autor do livro: “Discutindo a Vida – A arte de pensar diferente”

Comentários

Voltar